A festividade do sacrifício (‘eid al ad-há)

A festividade do sacrifício (‘eid al ad-há)

É obrigação para os que realizam a peregrinação menor e maior percorrer entre os montes Safa e Marwuah. .

É a segunda festa dos muçulmanos, coincide com o décimo dia do mês de Dhul hijjah (o décimo segundo mês do calendário islâmico); esta festa possui muitas virtudes, como:

  1. É um dos melhores dias do ano, já que os melhores dez dias são os primeiros dez de Dhul hijjah, de acordo com o Mensageiro de Allah (que a paz e as bênçãos de Allah estejam com ele): “Não há melhores dias, nem mais amados por Allah para fazer o bem como estes dez”, disseram: “nem a luta pela causa de Allah?”, respondeu: “nem a luta pela causa de Allah, exceto um homem que foi combater sacrificando sua vida e seus bens e regressa sem nenhum dos dois” (Bukhari, 926 e Tirmidhi, 757).
  2. É o maior dia da peregrinação, nele são cumpridos os maiores atos de adoração a Allah, os mais importantes da peregrinação, como circular em volta da Kaabah, o sacrifício e o apedrejamento dos pilares de al Jamaraat.

O que é feito no dia da festa?

Faz-se o mesmo que no dia do ‘eid al fitr (ver página 144), com exceção da caridade de al fitr, que é exclusiva da festividade no fim do Ramadan.

A festa do sacrifício se caracteriza pela adoração a Allah mediante o sacrifício de um animal (cordeiro, camelo, vaca…).

O animal a ser sacrificado: pode ser um camelídeo, bovino ou caprino, sacrifica-se em adoração a Allah e o período válido para o sacrifício é desde depois da oração do ‘eid até o pôr do sol do dia treze de Dhul hijjah. Allah, o Altíssimo, disse: “Reza, pois, a teu Senhor e sacrifica (os animais em Seu nome)” (Kawthar, 108: 2). O versículo se refere à oração e sacrifício desta comemoração (‘eid al ad-há).

O veredito: é uma sunnah confirmada àquele que possua condições, o muçulmano, então, faz o sacrifício por ele e sua família.

É recomendável que o muçulmano que vai sacrificar um animal não corte os cabelos e nem as unhas desde o primeiro dia de Dhul hijjah até que tenha realizado o sacrifício.

Requisitos que deve haver quanto ao animal a ser sacrificado:

É uma exigência do Islam que o animal a ser sacrificado esteja livre de todo defeito.

  1. É necessário que o animal a ser sacrificado seja proveniente do rebanho, quer dizer: caprino, bovino ou camelídeo. Não é válido sacrificar outros animais ou aves. É suficiente sacrificar um cordeiro ou uma cabra para um homem e sua família. Assim como é lícito que sete homens (com suas respectivas famílias) compartilhem uma vaca ou um camelo.
  2. Cumprir com a idade mínima requerida, que é seis meses para os cordeiros, um ano para as cabras, dois anos para as vacas e cinco anos para os camelos.
  3. Ausência de qualquer defeito aparente. O Profeta (que a paz e as bênçãos de Allah estejam com ele) disse: “Quatro (tipos de animais) não são válidos nos sacrifícios (do ‘eid): os que sofrem de cegueira clara, de uma doença aparente, de uma anomalia manifesta ou de fraqueza extrema” (Nasai, 4371 e Tirmidhi, 1497).

Que é feito com o animal a ser sacrificado?

  • Não é permitido vender nada do animal sacrificado.
  • Recomenda-se dividir sua carne em três: um terço para consumo próprio, outro para presentear e outro para oferecer aos pobres.
  • É lícito proporcionar o dinheiro do animal a ser sacrificado a organizações beneficentes de confiança e delegar a elas o sacrifício do animal e sua distribuição aos necessitados.