A guerra entre os sexos: não há lugar no Islam

A relação matrimonial no Islam é uma relação de complementaridade; cada um complementa o outro e juntos constroem a sociedade muçulmana.

A guerra entre os sexos: não há lugar no Islam

O conceito de guerra entre homem e mulher acabou submetendo a mulher ao homem em algumas sociedades (especialmente na antiguidade); em outras sociedades provocou a rebeldia e revolução femininas, ao ponto dela se despojar da sua própria natureza.

Este conflito não teria cabimento se fossem aplicados os ensinamentos de Allah, o Sapiente, louvado seja, que disse: “Não ambicioneis aquilo com que Deus agraciou uns, mais do que aquilo com que (agraciou) outros, porque aos homens lhes corresponderá aquilo que ganharem; assim, também as mulheres terão aquilo que ganharem. Rogai a Deus que vos conceda a Sua graça, porque Deus é Onisciente” (Alcorão, Nissa, 4: 32). Cada um tem suas características e funções e ambos são iguais em dignidade, pois o Islam não veio somente para os homens, nem apenas para as mulheres, mas sim para todos os seres humanos e para construir uma sociedade justa, solidária, submissa a Allah.

No caminho do Islam não há lugar para uma guerra entre os gêneros masculino e feminino, nem faz sentido competir por assuntos mundanos, nem campanhas contra o homem ou a mulher para acusarem-se mutuamente de problemas sociais e perseguir os defeitos uns dos outros.

Quando estas ideias provêm de muçulmanos, apesar de absurdas, são o resultado de uma interpretação muito equivocada dos ensinamentos do Islam, uma interpretalção que ignora as características de cada gênero. Allah nos guia no caminho do bem.