A peregrinação (Hajj)

O significado da peregrinação (Hajj)

A peregrinação é visitar a Mesquita sagrada com a intenção de cumprir com as ações próprias do hajj, que consiste em seguir o estabelecido pelo Profeta (que a paz e as bênçãos de Allah estejam com ele). Como consagração ritualística (ihram), que implica despojar-se da vestimenta normal; abster-se de certos hábitos como: caça, raspar o cabelo, cortar os pelos e as unhas, etc; circundar ao redor da Kaabah por sete vezes; percorrer a distância entre Safa e Marwa sete vezes; permanecer no vale de Arafat; lançar pedras nos pilares de al-Jamaraat, em Mina; etc.

Os servos de Allah obtêm grandes benefícios com a peregrinação, como a declaração da unicidade absoluta de Allah, o grande perdão de Allah para com os peregrinos, o encontro e convivência mútua entre os muçulmanos de diferentes regiões do mundo, o aumento de nosso conhecimento do Islam, etc.

O período da peregrinação: todos os atos da peregrinação se concentram entre os dias 8 e 13 do mês de dhul hijjah, que é o décimo segundo do calendário lunar islâmico.

Quem tem a obrigação de peregrinar?

 Circundar a Kaabah sete vezes é um dos requisitos tanto da peregrinação maior, quanto da menor.

Para que a peregrinação seja obrigatória, o muçulmano deve ser legalmente responsável e economicamente capaz. Entende-se por responsável todo muçulmano adulto e em poder de suas faculdades mentais e físicas.

O significado de ‘capaz’:

É toda pessoa capaz de chegar à Mesquita Sagrada de maneira correta e legal, para realizar a peregrinação. Sem mais sofrimentos ou cansaço que o comum à viagem, gozando, a todo momento, de segurança por sua vida e seus bens. E que seus gastos para cumprir com este pilar do Islam sejam cobertos por sua riqueza excedente, após ter satisfeito suas necessidades básicas, das de sua família e das pessoas que vivem sob sua responsabilidade.

Situações nas quais o muçulmano pode peregrinar

  1. Quando é possível, pessoalmente, que se faça a peregrinação, quer dizer, quando puder visitar a Mesquita Sagrada por si mesmo, sem mais cansaço ou sofrimento que o normal e quando possua dinheiro suficiente para seus gastos, neste caso é obrigatório para o muçulmano.
  2. Quando puder fazê-lo através de outra pessoa, como é o caso de pessoas doentes ou idosas, e encontra alguém que possa fazer por ele, cobrindo todos os gastos da peregrinação. Neste caso, é obrigatório patrocinar os gastos da peregrinação da pessoa que cumprirá este pilar por ele.
  3. Quem não puder realizar a peregrinação por si mesmo, nem através de outra pessoa, então, a peregrinação não é obrigatória, pois esta está incapacitada.

Assim como o caso daquele que não possui mais dinheiro que o necessário para cobrir suas necessidades básicas e não sobra nada para a peregrinação.

Não é exigido arrecadar ou reunir dinheiro para realizar o hajj (peregrinação). Apenas quando a pessoa possua o suficiente para fazê-lo é que se torna obrigatório.

O hajj da mulher e o requisito do parente homem (mahram)

Para que o hajj da mulher muçulmana seja obrigatório, além dos requisitos acima mencionados, ela deve ser acompanhada por um parente homem ou mahram, seja seu esposo ou aqueles homens com os quais ela está proibida de se casar: pai, avô, filho, neto, irmãos, sobrinhos e tios paterno e materno (ver página 205).

Entretanto, se uma mulher peregrina sem um parente homem, mas, de maneira segura, então seu hajj está correto e ela será recompensada por Allah.

  • Há capacidade econômica e física para peregrinar?
    • Sim => então, é obrigatório que peregrines, em pessoa.
    • Não => possui dinheiro suficiente, mas não há capacidade física, por sofrer de alguma doença crônica Ou é muito idoso?
      • Sim => então, tem que pagar os gastos da viagem para uma pessoa que possa fazer o hajj em seu lugar.
      • Não => se não possui dinheiro suficiente para peregrinar, porque o que tem só cobre as suas necessidades e as das pessoas que devem ser mantidas por você, então não é obrigatório o hajj e nem que busque recursos para ele.