Aprendizagem das normas do Islam

Aprendizagem das normas do Islam

É necessário que o muçulmano tenha interesse em aprender as normas da legislação em todos os campos da vida, em seus atos de adoração, suas ações diárias, suas relações com os demais, para que, desta forma, realize uma adoração correta, tal como disse o Mensageiro de Allah (que a paz e as bênçãos de Allah estejam com ele): “A quem Allah quer fazer um bem, faz com que compreenda Sua religião” (sahih Bukhari, 71 e sahih Muslim, 1027).

Deve-se aprender as regras obrigatórias, como a oração, purificação, o que está permitido ou proibido entre os alimentos e bebidas, etc… também, é recomendável que se aprenda outras normas que existem na legislação, apesar de não serem obrigatórias.

 As normas legais

Todos os ditos e comportamentos de ser humano se classificam em algum dos cinco preceitos:

Obrigatório (wajib) é o que Allah ordenou realizar, sendo recompensada sua realização e castigado seu abandono. Por exemplo, as cinco orações e o jejum de Ramadan.
Proibido (haraam) é tudo aquilo que Allah proibiu, recompensando seu abandono e castigando a quem o pratica. Por exemplo: o adultério e as bebidas inebriantes.
Recomendável e pertencente à tradição profética ( mustahab e sunnah) são as práticas que o Islam incentiva, premiando a quem o pratica, mas não castigando a quem o deixa. Por exemplo: sorrir para as pessoas, iniciar a saudação, tirar os entulhos do caminho, etc.
Detestável (makruh) é o que o Islam incentiva o abandono, recompensando a quem o deixa, mas sem castigar a quem o pratica. Por exemplo: mexer/brincar com os dedos enquanto se realiza a oração.
Opcional (mubah) é aquilo que não existe ordem ou proibição sobre sua prática ou abandono. Exemplo: beber ou falar enquanto come.