O convite ao Islam à família

Aquele a quem Allah agraciou com o Islam deve se preocupar que sua família também seja agraciada. Por isso, tem que convidá-la da melhor maneira possível à senda de Allah, pois os integrantes dela são seus entes mais queridos e há que ser paciente com eles. Allah, o Altíssimo, disse ao Seu Mensageiro: “Ordena tua família a praticar a oração prescrita e sê constante em seu cumprimento” (Alcorão, Taha, 20: 132).

Alguns muçulmanos que convidam ao Islam encontram melhor resposta de pessoas alheias à família e não dentre os seus. Portanto se lamentam, mas os muçulmanos que alcançam o êxito são aqueles que se esforçam e tentam, através de vários e inteligentes métodos; sempre pedindo a Allah por eles e nunca se desesperando nas situações mais difíceis.

Assim como fez o Mensageiro de Allah (que a paz e as bênçãos de Allah estejam com ele) com seu tio Abu Talib, quem o apoiava e protegia dos inimigos quraishitas, mas resistia a entrar no Islam. O Profeta jamais se desesperou e continuou tentando até seu último suspiro: “Ó tio, diga ‘não há outra divindade afora Allah’ e poderei interceder por ti ante Allah” (Bukhari, 3671 e Muslim, 24), mas seu tio não deu ouvidos. Então, Allah revelou: “por certo que tu (ó Muhammad!) não podes guiar a quem quiseres, senão é Allah Quem guia aqueles que deseja. Ele sabe quais são os que receberão a orientação” (Alcorão, Qissas, 28: 56). Quem convidar ao Islam deve perseverar e esforçar-se em ajudar as pessoas a seguir a boa orientação, mas consciente de que Allah é Quem possui os corações, Ele guia quem quiser.

O novo muçulmano deve aprofundar mais em suas relações e melhorar seus tratos com todos os seus conhecidos, muçulmanos ou não, pois o Islam incentiva a interação social e não o isolamento. Tratar as pessoas da melhor maneira possível e ter os melhores modos é a melhor forma de apresentar o Islam, a religião revelada ao Mensageiro de Allah para ensinar e aperfeiçoar os bons modos (ver pagina 222).